Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘pelourinho’

Anúncios

Read Full Post »

Acho que nada nessa vida me causava mais sono e tédio do que ir aos simpósios de fotografia da Facom ouvir gente de camisa quadriculada dissertar sobre a arte de “congelar o instante”, “registrar a história” ou “capturar algo que, no segundo seguinte, já não existe mais”. Assim, como se todos os outros profissionais do mundo – o padeiro, o médico, anyone – também não estivessem expostos à efemeridade da vida e só o fotógrafo pudesse brincar de Deus aprisionando a alma das pessoas num pedacinho de papel e nono nono nono nono.

Daí que, na semana passada, eu voltei a trabalhar no Pelourinho. Durante seis anos meu ofício sazonal foi fazer retratos por lá, especialmente de apresentações infantis – crianças errando as coreografias, arrancando as fantasias de kami do corpo, chorando por que o coleguinha pisou no pé – trabalho que eu só retomei este ano, depois de uma longa pausa. E eis que sou surpreendida por um fato estarrecedor:

AS MINHAS. CRIANÇAS. NÃO. EXISTEM. MAIS.

Para desconforto geral da nação, os meus meninos agora têm BARBA (!!!), as minhas meninas fazem VESTIBULAR (!!!!!), ninguém errou a coreografia e, tipo assim, eu quero MORREEEEEEER.

\o/

Aquelas crianças só existem nas minhas fotografias. E isso é tão clichê, gente. Isso é tão “congelar o instante” e “registrar a história”. Como é que eu caí nessa cilada, hein? Alguém pode me explicar o que aconteceu? Já posso começar a chorar?

Jo sofro mucho.

.

.

(Pelourinho, 25 de agosto de 2011, 30 graus)

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: